Pesquise no blog

rss Talvez você ainda não esteja recebendo nossa newsletter por e-mail,
curtindo nossa página no Facebook, ou nos seguindo no Twitter.

Homenagem à Mulher

mulher
Para você mulher

Para você mulher, que tanto suporta,
Para você mulher, que tanto se importa,
Para você mulher, que não nega ajuda...
Para você mulher, que acolhe aqueles que batem à sua porta.

Ser mulher é ser uma classe que não se intimida
Ser mulher é vencer as dificuldades da vida...
Nos caminhos repouso, passos errantes, tão longos distantes,
Vejo a presença, sinto a falta, “mulher” ser amado que faz a diferença.

Hey! Mulher, não fuja, seja forte...
Mulher! eis o único ser que com o dom da vida vence a morte.
Mulher, tu possuis uma força paradoxal,
Que pode ser mortal, mas que rompe o tempo da vida.

Mulher, sinônimo de vibração constante,
Põe nos eixos os homens mais “errantes”,
E tira do caminho os “encaminhados”.
Eterna busca pela liberdade,
Tem o poder de inventar caminhos.
Traz os derradeiros carinhos expostos no peito.
Ser mulher é uma bênção...
É casa de amor no jardim da beleza,
É uma flor, tão terna e cheia de pureza,
Mulher, és a árvore da vida,
O fruto da perfeição...

Autor: Tiago Lino da Silva (http://sitedepoesias.com/poesias/69054)

* * * * *


rosas
Rosa

*Ligue seu som para desfrutar do áudio*

Tu és, divina e graciosa, estátua majestosa do amor
Por Deus esculturada e formada com ardor
Da alma da mais linda flor de mais ativo olor
Que na vida é preferida pelo beija-flor
Se Deus me fora tão clemente aqui nesse ambiente de luz
Formada numa tela deslumbrante e bela
O teu coração junto ao meu lanceado pregado e crucificado
Sobre a rósea cruz do arfante peito teu
Tu és a forma ideal, estátua magistral oh alma perenal
Do meu primeiro amor, sublime amor
Tu és de Deus a soberana flor
Tu és de Deus a criação que em todo coração sepultas o amor
O riso, a fé e a dor em sândalos olentes cheios de sabor
Em vozes tão dolentes como um sonho em flor
És láctea estrela, és mãe da realeza
És tudo enfim que tem de belo
Em todo resplendor da santa natureza
Perdão, se ouso confessar-te eu hei de sempre amar-te
Oh flor meu peito não resiste
Oh meu Deus quanto é triste a incerteza de um amor
Que mais me faz penar em esperar em conduzir-te um dia aos pés do altar
Jurar, aos pés do onipotente em preces comoventes de dor
E receber a unção da tua gratidão
Depois de remir meus desejos em nuvens de beijos
Hei de te envolver até meu padecer de todo fenecer

Composição: Pixinguinha e Otávio de Souza


* * * * *

Para as mulheres que por aqui passam,
fica a singela homenagem da TRAB Looks Moda Feminina neste dia tão especial, 
desejando que todos os dias do ano continuem maravilhosos!!!

Comentários
0 Comentários

Você pode ser a(o) primeira(o) a comentar, não pode?!

Estou curiosa para ver sua opinião aqui neste espaço!